Sexta-feira, 22 de Abril de 2011

Induzir a Ovulação Está Correto?

                             Piluladodiaseguinte-informaes.jpg image by mundodastribos

Uma das razões pelas quais demoramos engravidar é a falta de ovulação muito comum naquelas que têm ovários policísticos, meu caso!.
Usei clomid há 11 anos e tenho uma filha linda. Em todos esses anos não pensava em engravidar até que uma gravidez inesperada, e que perdi, me fez querer engravidar de novo. Havia mudado o anticoncepcional por indicação da dermatologista, por causa de uma queda de cabelo. Levei o maior susto, principalmente porque a ginecologista achou que era ectópica! Que nada, era normal! O tratamento com indutor tanto com comprimidos como, frequentemente, com injeções de gonadotrofinas geralmente pode resolver esse problema.

O medicamento mais comumente usado na indução da ovulação que é o mais barato,é o citrato de clomifeno, (Serofene, Indux, Clomid), que é utilizado diariamente, um comprimido, durante cinco dias, a partir do terceiro dia da menstruação, ou em outo dia a critério médico. Usei a dose inicial de 50 miligramas, mas ela pode ser aumentada para 100 miligramas caso não haja uma boa resposta,  ou em casos mais raros 150 miligramas. A ovulação deve ocorrer de 5-10 dias após o último comprimido e as relações devem acontecer em dias alternados a partir daí. Não me lembro por quantos ciclos usei mas não é recomendado o uso do indutor por mais de 6 ciclos, se não houver ovulação nesse período o tratamento deve ser interrompido para a realização de exames e tratamentos alternativos. Voltei a usar por indicação de um GO mas ao trocar de médico ela me indicou 6 ciclos com a pilula para descansar os ovários. 6 ciclos? Desobedeci, lógico!  Consegui marcar uma consulta somente para 26 de maio, looonge , então dá prá fazer mais um ciclo de Diane 35.

Num dos US que fiz meu folículo dominante não rompeu e pensei em pedir umas injeções utilizadas nesses casos, mas o GO não quis. Também eles não entendem muito bem disso não... Melhor assim! Andei pesquisando sobre elas e descobri que a dosagem dessas injeções, gonadotrofinas, varia de uma pessoa para outra, dependendo de como os ovários respondem a esse tratamento pois elas fornecem FSH e LH em várias quantidade. O HCG é um tipo de ganodotrofina utilizado para a maturação final dos óvulos e rompimento dos folículos. Durante a estimulação ovariana, o crescimento dos folículos é monitorado por ultra-sonografia, e quando atingirem o tamanho adequado, superior a 17mm, é administrada uma dose de HCG, que provocará a ovulação dentro de 36 a 40 horas aproximadamente. Pode ser o Choragon, Choriamon, Ovidrel, Pregnyl.  Se ele for dado de manhã, a ovulação pode ser esperada durante a tarde e noite do dia seguinte. Essa tarde e a seguinte são os melhores momentos para ter uma relação sexual. Parece que é tudo muito simples, não é? Não acho, não!
A monitoração da resposta ao tratamento, com US seriada, é uma das partes mais importantes para quem esta usando indutor. Evitará o desenvolvimento de muitos óvulos, desse modo reduzindo as probabilidades de uma gravidez múltipla e o desenvolvimento da síndrome de hiper-estimulação ovariana.Um ciclo de tratamento pode ser suspenso se existir o risco de ocorrência de qualquer dessas duas condições.
Neste exame, poderá ser visto na tela do ultrassom quantos folículos estão crescendo em cada ovário. O folículo é considerado pronto para a ovulação quando atinge um diâmetro de, pelo menos, 17 milímetro e associado a isso um endométrio que deve atingir uma espessura de pelo menos 8 milímetros no momento da ovulação. A monitorização da indução da ovulação deve ser iniciada entre o 8º e o 10º dia do ciclo menstrual, com intervalo de dois dias entre cada exame. Dependendo das drogas utilizadas, acompanhamos o crescimento dos folículos até determinado diâmetro, quando então, a ovulação é induzida com o uso do hCG, se for o caso.

A boa notícia é que com novas drogas sendo lançadas, o sucesso na indução de ovulação vem aumentando de maneira considerável, abrindo novas perspectivas para as pacientes de baixa produção ovariana e para aquelas com idade avançada, então podemos tentar até mais tarde, rsrsr
Com relação aos efeitos colaterais com o indutor, muita mulheres reclamam de desconforto gástrico e intestinal, fogachos, inchaço, dores de cabeça, tonturas, depressão e desconforto nas mamas, eu nunca senti absolutamente nada. Cada organismo reage de uma forma e penso que para realizar um sonho tão lindo passar por isso é fácil, fácil...
Metformina, ajuda?
Como se não bastasse o indutor ainda tem a metformina, que já estou usando há 4 meses,um medicamento tradicionalmente utilizado no tratamento da diabetes e que vem recentemente sendo utilizado para tratar sintomas da Síndrome do Ovário Policístico. Ela reduz os níveis de insulina, de testosterona, restaurando a ovulação e a regularidade do ciclo menstrual.

Gosto de tomar a Metformina porque tenho uma prisão de ventre horrível e ela me dá um alívio. Para quem não tem esse problema, os efeitos calaterais relacionados ao intestino podem ser diminuidos com a introdução gradual das doses. Os resultados, dizem, são observados após três a seis meses de uso contínuo podendo associar a Metformina ao citrato de clomifeno e/ou gonadotrofinas na indução da ovulação. Tem uma menina no fórum, acho que é a Aline, que desistiu de usar depois de um ano tomando porque nem ao menos regularizou seu cicclo. Vamos ver, Né? O meu, por enquanto também não foi capaz disso...

Ao pesquisar a metformina, descobri que boa parte das mulheres que tomam voltam a ter as menstruações espontâneas e a ovular depois do tratamento apenas com metformina. Dizem que a eficiência da metformina sobre a reprodução pode ser superior à do tratamento tradicional com citrato de clomifeno, mas ainda precisa ser mais testada, será¿ Essa é uma boa notícia...

Tomo o genérico, que é mais barato, mas também tem o Glifage, Glucoformin, Metformin, etc.
Vantagens da metformina::
regulariza ciclos menstruais e ↑taxas de ovulação
retorna a ovulação espontânea
não causa hiperestimulação ovariana
não aumenta risco de gestação múltipla
não tem efeito negativo sobre o muco e endométrio


Algumas dúvidas que eu tinha:



O que é indução da ovulação?

É quando a mulher toma medicamentos para melhorar a qualidade da ovulação e aumentar o número de óvulos para a fecundação
Quantos comprimidos do indutor devo tomar?
A indução de ovulação é um processo feito individualmente para cada paciente e os protocolos, doses e medicamentos a serem utilizados são elaborados dependendo do perfil de cada mulher. Em alguns casos os protocolos visam a produção de 2 a 3 óvulos num mesmo ciclo, aumentando as chances de fecundação, num processo chamado de coito programado.
Existe diferença no controle da ovulação quando o ciclo é natural ou quando é induzido?
Nenhuma diferença. Um cuidado a mais na indução é verificar rigorosamente a velocidade de crescimento folicular e o número de folículos recrutados. Na ovulação induzida a dose dos medicamentos deve ser ajustada de acordo com a evolução observada pelo ultrassom.
Pode haver complicações na indução da ovulação?
Sim. As duas principais são a gestação múltipla e a síndrome do hiperestímulo. Uma indução bem controlada reduz a chance dessas complicações ocorrerem. É fundamental que o profissional que estiver acompanhando a paciente tenha experiência em lidar com as drogas de indução da ovulação para evitar ao máximo essas ocorrências. O hiperestímulo é uma complicação importante e deve-se avaliar a possibilidade disso ocorrer antes do início do tratamento. Pacientes jovens, magras e com ovários policísticos são candidatas a essa complicação. A indução neste caso deve ser iniciada com doses baixas. O hiperestímulo proporciona um número grande de óvulos causando inchaço abdominal considerável e dor pélvica muito desagradável.
Os medicamentos usados para a indução da ovulação engordam?
Algumas pacientes se referem a aumento do peso e da circunferência abdominal. Sentem-se inchadas. Essa ocorrência é transitória e passa após o término do tratamento
Qual é a chance de um casal engravidar com o tratamento de indução da ovulação?
É ao redor de 10 a 12%. Essa orcentagem varia dependendo de vários fatores, principalmente da idade da mulher.

Essa chance é menor do que a de um casal normal que não tem esse acompanhamento?
Sim. Mas não podemos esquecer que se esses casais que estão em tratamento não engravidaram até essa época, é porque deve ter algum problema. Por isso, a chance, comparando-se com um casal que engravida espontaneamente, é menor

Que casais podem ser submetidos a este tratamento?

São principalmente os casais mais jovens que não tenham alterações laboratoriais importantes. Os exames devem ser todos normais. O espermograma deve ter espermatozóides com concentração, motilidade e morfologia normais. As tubas devem estar comprovadamente desobstruídas, verificadas pela histerossalpingografia, dosagens hormonais e testes imunológicos em perfeita harmonia. As mulheres com mais de 35 anos podem ser submetidas a este tratamento mas devem ser conscientizadas das chances limitadas deste processo.
A indução da ovulação aumenta as chances de gestação?
A princípio, sim. Com a medicação recruta-se um maior número de óvulos e se mantém um nível hormonal mais satisfatório. Ao se ter mais óvulos aumenta-se a chance da gravidez.
E as chances de gestação gemelar também?
Sim. Quanto maior o número de óvulos, maior a chance de gestação múltipla. É um risco que se corre.
Quais são os principais medicamentos receitados para a indução da ovulação?
Existem os comprimidos via oral e as medicações injetáveis. Os comprimidos são o citrato de clomifeno (nome comercial, Clomid, Serofene e Indux). As drogas injetáveis são as gonadotrofinas, Choragon, Choriamon, Ovidrel, Pregnyl, que podem ser classificadas de urinárias, fabricados com os hormônios provenientes da urina da mulher menopausada ou recombinantes fabricados pela engenharia genética. Outros medicamentos como estrogênio e progesterona são usados para complementar hormônios e não para induzir a ovulação. Os corticóides, Meticorten, podem ser também utilizados. Cada tratamento e cada profissional tem a sua maneira de usar estas drogas. As doses são variáveis conforme o objetivo do tratamento, a idade, os antecedentes da mulher e a experiência do profissional. Esses medicamentos são importantes para a indução da ovulação, e para o Coito Programado.
Os policistos são o grande vilão da falta de ovulaçao?

Sem dúvida, os ovários policísticos chamam a atenção. Essa alteração representa uma desordem hormonal que impede a ovulação de maneira adequada. A maioria dessas mulheres são obesas, tem pêlos em excesso e a imagem ultra-sonográfica dos ovários com vários pequenos cistos. Uma das alterações hormonais importantes nesses casos é a resistência à insulina, que leva a um aumento desse hormônio que é fabricado pelo pâncreas e tem relação com a diabetes. O tratamento complementar nas induções da ovulação é feito com a metformina, um medicamento utilizado por pacientes com diabetes leve. A indução da ovulação em pacientes com ovários policístico leva a dois extremos. Os ovários podem não responder ao estímulo hormonal ou podem responder em excesso, causando a chamada Síndrome do Hiperestímulo Ovariano. Outro desafio são as baixas respondedoras, pacientes cujos ovários não respondem aos estímulos hormonais habituais. Os medicamentos são receitados e o número de óvulos previstos são abaixo do esperado.

publicado por Gina às 11:57
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Eu....

. Indutores de Ovulação

. Síndrome dos Ovários Poli...

. Hiperandrogenismo feminin...

. Indutores de Ovulação

. Anovulação

. Calcular período fértil O...

. Hirsutismo

. Estimulação Controlada do...

. Usando clara de ovo para ...

.arquivos

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

blogs SAPO

.subscrever feeds